Grande Campeã Indubrasil, Lúdica da Natureza

Foto por: Divulgação

A grande Expointer

Por: Natália Escobar - Revista Pecuária Brasil

A Exposição Internacional de Animais (Expointer) é um dos mais importantes eventos agropecuários e de maquinário da América Latina. A feira teve origem em 1901, quando ainda era um evento de âmbito estadual.

Em 1972, com a participação de 13 países, nasceu a Expointer, tradicionalmente realizada no Parque de Exposições Assis Brasil, na cidade de Esteio, localizado a 25 km de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Em 2016, o evento, promovido de 27 de agosto a 8 de setembro, encheu os olhos dos participantes pela sua grandiosidade. Em sua 39ª edição, foram inscritos mais de 4,2 mil animais em competições, além de mais de dois mil para leilões e eventos.

A feira recebeu mais de 355 mil visitantes, que passearam pelos 141 hectares do Parque. O volume de negócios atingindo foi de R$1,92 bilhão. Na imprensa, somente até o fechamento do evento, a Expointer gerou mais de 300 matérias e três mil fotos. “É um espetáculo de tecnologias de máquinas e de genética. Traduz tudo o que o Brasil consegue fazer, e todos colocam seus esforços para haver superação”, afirmou o vice-presidente da Federação da Agricultura do RS (Farsul), Gedeão Pereira. A venda de animais foi de R$11,77 milhões nos nove dias de feira, ficando 24,97% abaixo da receita obtida em 2015. O destaque neste ano foi a venda de exemplares rústicos na Feira de Novilhas, promovida pela Farsul, que comercializou R$990,5 mil.
O maior volume de vendas de animais veio da raça equina crioula, com R$8,79 milhões (74% do total). Em oito remates, foram comercializados 280 lotes entre animais inteiros, cotas, embriões e coberturas. O exemplar mais valorizado foi a égua Guria Bragada, no remate da Estância Vendramin, vendida por R$350 mil.

O governador do estado José Ivo Sartori disse que essa foi a Expointer da superação econômica, de acreditar na retomada do crescimento e do país. “A Expointer é um patrimônio do Rio Grande do Sul e, esse ano, nos mostrou que o momento é de retomada: no estado e no país, na política e na economia”, disse. Ele ressaltou, ainda, que a reunião de ministros da Agricultura, do Uruguai e da Argentina com o titular da Pasta no Brasil, Blairo Maggi, terá desdobramentos futuros e vai contribuir para a reativação do Mercosul.

Quarto de Milha
A Expointer recebeu o Congresso Nacional de Laço Comprido, promovido pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM). Ao todo, mais de 300 participantes concorreram entre cinco categorias. A competição consiste em laçar o animal pelas aspas até a raia de 100 metros. É classificado para a próxima fase quem conseguir capturar o bovino em menor tempo. Segundo Diogo Carvalho Soccal, representante da diretoria do Núcleo Centro Sul do Cavalo Quarto de Milha, a competição tem um alto nível de dificuldade. “Precisa de muito treino. A cada etapa vai diminuindo 20 metros do ponto de chegada. Isso dificulta a prova, porque o candidato vai ter que se esforçar para acertar mais rápido e em menor tempo”, explicou.

Indubrasil
Um dos destaques entre os bovinos expostos foi o indubrasil, zebuíno de dupla aptidão. “Tivemos muitas alegrias esse ano. Anualmente a raça cresce dentro da Expointer, através de um trabalho árduo dos criadores gaúchos. Em 2016, percebemos que o indubrasil tem um espaço enorme e garantido na nossa pecuária. Especialmente pela sua rusticidade, ele vem sendo cada vez mais procurado para cruzamentos com o gado europeu, gerando resultados surpreendentes”, conta Elair Bachi, parceiro da Revista Pecuária Brasil, selecionador e grande incentivador da raça no estado, um dos responsáveis pela participação do indubrasil na Expointer.

Na pista, o Grande Campeão foi o Campeão Touro Adulto, Klássico, do Sítio Querença, do criador Elair Bachi, do Sítio Tio Fiorindo, e expositor Ederson Rothmundtou, que também levou o prêmio como criador e expositor do Reservado Grande Campeão, Titan da Querência. A Grande Campeã foi a Campeã Vaca Sênior Ludica da Natureza, do criador José Henrique Fugazzola, exposta por Jairo André Gorczevski, da Fazenda Lobo Guará. A Reservada Grande Campeã foi a Campeã Vaca Adulta, Kangga, criação e exposição também de Elair.

Paleteada
A paleteada, também conhecida como “corrida de vacas” movimenta peões de todo o Rio Grande do Sul em diferentes etapas. Durante todo o ciclo de competição participaram 1,7 mil cavalos Crioulos (única raça da competição) em 31 eventos regionais. Duas classificatórias, em São Gabriel e Santa Vitória do Palmar, definiram os 50 finalistas que foram à Expointer.
A última etapa consagrou Leonardo Pavin, montando PP Jeitosa da Renascer, e Maurício Costa, montando PP Juramento da Renascer, como vencedores desta edição. Os campeões ficaram em segundo lugar no ano passado e superaram os vencedores de 2015. A prova distribuiu R$ 30 mil em prêmios entre os 15 melhores colocados.
A paleteada é inspirada no trabalho de campo, a partir das situações onde os vaqueiros enfrentavam a necessidade de resgatar uma rês desgarrada. Em corridas de ida e volta na cancha, a dupla deve conduzir o gado demonstrando habilidade sobre o cavalo e domínio das técnicas da atividade, além da parceria no trabalho. Os jurados focam a avaliação no cavalo e a atuação do peão sobre o animal. Os juízes deste ano foram o técnico credenciado e jurado da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Crioulo (ABCCC) Thiago Persici e o ginete do Freio de Ouro Daniel Waihrich Teixeira.

Incremento nas máquinas
A venda de máquinas teve incremento de 12,95% em relação ao ano passado. As propostas encaminhadas durante a feira somaram R$ 1,9 bilhão, ante o R$ 1,7 bilhão de 2015. Conforme o presidente do Simers, Claudio Bier, o número superou a meta traçada pela entidade. Atualmente, 66% dos equipamentos agrícolas fabricados no Brasil saem Rio Grande do Sul.

Agricultura familiar e artesanato
Um dos espaços mais concorridos na feira, o Pavilhão da Agricultura Familiar esteve com seus corredores cheios durante toda a semana. Na 33ª Exposição de Artesanato do Rio Grande do Sul, as vendas somaram R$ 942,5 mil, com a saída de 22.755 peças. O espaço reuniu expositores cadastrados no Programa Gaúcho do Artesanato (PGA) da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS). A cada edição, o Pavilhão da Agricultura Familiar aumenta o número de comercialização, público e também de mulheres e jovens trabalhando. Este ano, eles chegam a 87%.

Desfile dos Campeões
O desfile contou com a passagem dos cerca de 150 vencedores das competições, além da tradicional esbarrada, cumprimento dos cavaleiros do Freio de Ouro ao público. Entre os campeões que desfilaram, o maior número foi de bovinos, 30%, entre gado de corte e de leite. Os outros 70% são divididos entre equinos, ovinos, caprinos e pequenos animais. Os grandes campeões representam o que há de melhor em genética animal.

Carne de zebu
Uma das atrações da Expointer 2016 foi a degustação de carne de zebu. A Associação dos Criadores Gaúchos de Zebu (ACGZ) e a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) ofereceram 130 quilos de carne em um belo churrasco gaúcho no pavilhão de bovinos de corte, onde estavam expostos os zebuínos. A carne era assada diariamente em espeto e grelha pelo Personal Beef da ACGZ, Guilherme Pedrozo, acadêmico de Zootecnia. O produto era oriundo de animais 100% zebu abatidos aos 18 meses pelo Grupo Marfrig.

PRAÇA VICENTINO RODRIGUES DA CUNHA N. 110
PARQUE FERNANDO COSTA
UBERABA | MG

34 3336-4400

Instagram