O brilho nas pistas do Sul

EXPOINTER // Dócil, rústico e de dupla aptidão, a raça que teve os seus primeiros registros originários no Triângulo Mineiro vem ganhando destaque na maior feira da América Latina

Por: Sabrina Alves

o estado do Rio Grande do Sul foi palco, mais uma vez, da Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários, a Expointer. A feira agropecuária chegou a sua 37ª edição e é considerada a maior da América Latina. O evento aconteceu entre os dias 30 de agosto e 7 de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), e contou com mais de 60 julgamentos, entre esses, o de animais da raça Indubrasil, que foi um dos grandes destaques da feira. Depois de longos 20 anos longe da Expointer, segundo dados da Secreta
ria de Agricultura, Pecuária de Agronegócio do Estado Gaúcho, que havia registrado a última aparição de um exemplar Indubrasil em 1990, a raça voltou às pistas de Esteio. Participaram, naquele ano, apenas 13 exemplares da raça, expostos pelos criatórios do Rio Grande do Sul oriundos do Sítio Fiorindo de Elair Bachi e Fazenda Lobo Guará, dos irmãos Gorczevski. Aquele momento seria a retomada da raça nas pistas do Sul do país. “Este já é o terceiro ano que participamos e já contamos com vários expositores levando o Indubrasil para a pista. Este ano, a raça foi o Zebu de corte mais exposto na feira”, conta o pecuarista Elair Bachi, que adquiriu os primeiros exemplares durante uma Exposição Internacional de Zebuínos (ExpoZebu). Já em 2014, de acordo com Honório Franco, coordenador da Expointer, o número aumentou para 30 animais inscritos, dos criadores Ederson Coimbra Rothmundt, Elair Bach, Jairo Andre Gorczevski e Vitor Hugo Fim. “A raça vem se destacando na feira. O número de animais inscritos tem crescido nos últimos quatro anos e o Elair tem sido um incentivador da raça. Foi o criador que 2011 levou os únicos representantes da raça e hoje continua sendo o grande expositor levando mais de 50% dos Indubrasil inscritos”, diz. Honório comemora a realização do evento, que contou com a exposição de várias raças de animais e mostras agrícolas. “O evento propicia o grande encontro das cadeias ligadas à economia do campo. Contamos com a participação de expositores de máquinas, implementos agrícolas, comércio, agricultura familiar e artesanato. Com a junção de todos esses segmentos o número de participantes facilmente ultrapassa os 2000 expositores que participam de provas e leilões das diversas raças”, explica o coordenador, que completa ainda: “outro fator que acho de grande importância é a diversidade de raças apresentadas. Este ano mais de 30 raças de bovinos, zebuínos e bubalinos estiveram presente. Ainda contamos com 13 de ovinos, 12 raças de equinos e mais de 100 raças de pequenos animais. Este fantástico conjunto de raças dificilmente é encontrado em outras exposições”, expõe.

Julgamentos zebuínos

Com a variedade de julgamentos e exposições, todos os anos, a Associação dos Criadores Gaúchos de Zebu (ACGZ) escolhe um tema para marcar a mostra dos zebuínos que participam da feira. Este ano o tema foi “Zebu moderno: resultado garantido”. De acordo com a associação, a intenção foi a de mostrar a evolução zootécnica das raças nos últimos anos, que engloba os programas de melhoramento genético. Em publicação, o presidente da ACGZ, José Adalmir Ribeiro do Amaral destacou que o intensivo melhoramento das raças se transformou numa “ferramenta indispensável para uma pecuária mais eficiente e lucrativa, principalmente se utilizada em cruzamentos”. Ao todo foram 250 exemplares e a escolha dos melhores exemplares ficou a cargo da médica veterinária e jurada oficial da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), Tatiane Almeida Drummond Tetzner.

Campeões

O indubrasilista Elair Bachi já comemora o grande campeonato. Ele
foi responsável por expor o Grande Campeão: Caio da Natureza, e o título de Grande Campeã ficou com a fêmea Posse da Natureza. Os dois exemplares são do Sitio Tio Fiorindo, pertencente à Elair. “A raça está no caminho certo, crescendo com cautela. Os problemas do passado foram superados e agora temos que segurar firme no cabresto e multiplicar a genética moderna do Indu”, celebra o criador. Além das comemorações dos grandes prêmios, Elair ainda foi destaque como melhor criador da feira. “Isso colocou a raça na vitrine e isso que precisamos”.

Comemorações

Quem também celebrou foi a diretora de Marketing da Associação Nacional de Criadores de Indubrasil (ABCI), Patrícia Sibin. “Pelo segundo ano consecutivo, a Expointer foi uma exposição agropecuária que demonstrou o crescimento intenso e constante da raça, elevando patamares até então nunca alcançados na região sul do país. O trabalho dos criadores Elair Bachi, Victor da Cabanha Zebusul, Jairo Gorczevski, entre outros sulistas, também mereceram muito destaque”, diz. Patrícia, que é uma verdadeira apaixonada pela raça, ainda destaca que “a propagação do Indubrasil hoje no cenário pecuário nacional e internacional era algo já previsto por nós criadores, o trabalho nas fazendas tem sido intenso, tanto para a seleção corte, quanto para o leite, com as Indolandas. Estamos em uma fase de grande procura por nossos animais nas exposições e nos currais, não deixando de lado nosso lema qualitativo e de melhoramento genético da raça, razão pela qual, em reuniões realizadas na sede da ABCI, estamos dando destaque à propagação do Indubrasil nas exposições regionais de cada criador”, conta. “O trabalho é árduo, mas a realidade tem trazido colheitas fartas, no quesito cruzamento já é a soberana e na adaptabilidade temos a região Sul do país, de clima extremamente frio, que vem mostrando que a raça Indubrasil veio para ficar”, finaliza.

PRAÇA VICENTINO RODRIGUES DA CUNHA N. 110
PARQUE FERNANDO COSTA
UBERABA | MG

34 3336-4400

Instagram