Foto por: JM Matos

ABCI reforça ações de incentivo à raça Indubrasil

Por: Thassiana Macedo

O Indubrasil foi obtido em 1930, a partir da fusão entre a genética das raças Gir, Guzerá e Nelore, na região do Triângulo Mineiro. O primeiro registro genealógico na Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) ocorreu apenas oito anos depois. De lá para cá, muita coisa mudou. Os animais de orelhas alongadas e de grande porte, com dupla aptidão, importante vigor híbrido nos cruzamentos, temperamento dócil, habilidade materna e signi cativa adaptação à diversidade climática, zeram o Indubrasil extrapolar as fronteiras brasileiras e ganhar o mundo. Em 2016, o objetivo é continuar expandindo e fortalecendo a raça, dentro e fora do Brasil.
Em março de 2015, o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Indubrasil (ABCI), Roberto Fontes de Goes, entregou um projeto para a ABCZ que
previa um conjunto de ações integradas para incentivar a retomada do crescimento da raça no país. Foi quando a entidade lançou o Programa de Incentivo à Raça Indubrasil, para integrar e articular ações desenvolvidas em benefício da raça. “Esta foi uma estratégia que deu muitos resultados positivos, porque observamos o momento propício para o Indubrasil. Estamos preparados para enfrentar os desa os do mercado, uma vez que os selecionadores conseguiram um excelente resultado no processo de seleção, a raça conquistou uma evolução formidável e permanece crescendo com grande consistência e satisfação total dos clientes”, avalia.

Entre estas ações estão a criação de um banco de material genético da raça, a reformulação do site da ABCI, divulgação de informações e conhecimentos técnicos sobre a raça, realização de um seminário durante a ExpoZebu 2016, publicação da Revista Indubrasil e de um livro técnico sobre a raça, bem como a realização de pesquisas desenvolvidas tanto na área de produção de leite, quanto para a produção de carne e a realização de um abate técnico em 2016. “Estamos trabalhando para provar as qualidades do Indubrasil, um Zebu de dupla aptidão e que está em vários países de pecuária tropical. E é preciso ressaltar o apoio da ABCZ a este programa em benefício da raça. A atual diretoria não mediu esforços para serem parceiros do Indubrasil e seus criadores”, reforça Goes.

O presidente da ABCI destaca ainda que, em 2016, os planos são de continuar dando incentivo aos criadores para que voltem a fazer o registro genealógico dos rebanhos de Indubrasil distribuídos pelo país. “Por razões diversas, eles deixaram de fazer o registro dos animais. Visitas aos amigos criadores foram constantes em todo o país, sendo que criadores visionários e novos apoiadores da raça já perceberam a grande oportunidade que é investir no Indubrasil. No mercado interno, obtivemos cruzamentos para gado de leite e também para gado de corte, com excelentes resultados. No mercado externo, o interesse pela genética do Indubrasil é muito forte e as exportações já ocorrem com animais de elite, sêmen e embriões”, afirma.

Segundo o diretor Internacional da ABCI, Djenal Tavares Queiroz Neto, os projetos de exportação de material genético e animais para países criadores de Indubrasil, iniciados em 2015, serão intensi cados este ano. “O interesse pelo Indubrasil no exterior está superando as expectativas mais otimistas. O pan eto produzido para divulgar a realização do Seminário Internacional sobre a raça foi reproduzido no exterior. Publicaram na revista Ganadeiro, a principal revista do setor no México e que circula em toda a América Central e nos Estados Unidos, por conta própria. Também houve divulgação na Costa Rica, na Nicarágua e na Guatemala. Isso mostra que o Indubrasil tem força no exterior. A Tailândia também está se movimentando bastante, onde há uma revista especializada na raça. Ou seja, toda a rede internacional está começando a ser fortemente revigorada através desse trabalho desenvolvido pela associação aqui no Brasil”, avalia.

Para ter uma ideia, Djenal a rma que existem no exterior cerca de 100 vezes mais animais da raça do que no Brasil, e um dos países com o maior rebanho é a Tailândia. Aliás, Roberto de Goes observa que houve um crescimento importante no mercado da raça, com boa liquidez e valorização de tourinhos e fêmeas nos leilões. No entanto, para o dirigente, a raça ainda necessita aumentar o número de matrizes para atender á demanda, pois a procura por machos e fêmeas cresce a cada dia. Por isso, o fomento à raça e o incentivo dos criadores é fundamental neste período.

1o SEMINÁRIO INTERNACIONAL DA RAÇA INDUBRASIL: O ZEBU MUNDIAL

Em 2016, a associação pretende fortalecer as ações do Programa de Incentivo da Raça Indubrasil, iniciadas no ano passado, bem como realizar a primeira edição do “Seminário Internacional da Raça Indubrasil: O Zebu Mundial”, durante a 82a ExpoZebu, marcada para ocorrer de 30 de abril a 7 de maio.

Segundo o presidente da entidade, Roberto de Goes, o tema do encontro é baseado na pergunta: qual o papel do Indubrasil na pecuária mundial? “No seminário, veremos a raça pelo aspecto do processo de melhoramento genético do PMGZ (Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos) e, também, um panorama do Indubrasil em todos os países da América, África, Ásia e Oceania, onde ele está presente. Hoje, o Indubrasil é uma raça mundial e o Brasil tem um papel fundamental no desenvolvimento desta genética”, arma.

Pela programação, o evento começa às 8h30 com a entrega de materiais informativos no Salão Nobre da ABCZ. O seminário é realizado pela Associação Brasileira de Ciradores de Indubrasil (ABCI) e tem o apoio da ABCZ, PMGZ, Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu), Brazilian Cattle e dos patrocinadores.

Às 9h, o superintendente Técnico da ABCZ, Luiz Antônio Josahkian, ministra a palestra “ O PMGZ como ferramenta de seleção”, seguida de um debate sobre o tema. A partir das 10h, o gerente regional e Técnico de Campo na ABCZ, Roberto Winkler profere “O PMGZ na seleção da Raça Indubrasil”, também com discussão sobre o tema. Às 11h, o superintendente adjunto de Melhoramento Genético da ABCZ, Carlos Henrique Cavallari, fala sobre “O Indubrasil, Zebu de Carne e Leite”.

Após uma pausa para o almoço, don Sérgio Lúcio, do México, palestra sobre “O Indubrasil nas Américas”, com mesa-redonda. Às 15h, os inscritos participam de um debate entre os especialistas Rinaldo dos Santos, don Sérgio Lúcio, Acrísio Cruz e Clarindo Miranda, com o tema “O Indubrasil e sua função na pecuária mundial”, que terá encerramento com a entrega do Mérito Indubrasil aos apoiadores da raça. Segundo o presidente da entidade, será confeccionada uma carta de intenções para o futuro do Indubrasil.

Refêrencia: REVISTA O ZEBU NO BRASIL

PRAÇA VICENTINO RODRIGUES DA CUNHA N. 110
PARQUE FERNANDO COSTA
UBERABA | MG

34 3336-4400

Instagram